Capacidade de correr moldou anatomia humana, diz estudo

 A habilidade de correr moldou a anatomia humana, fazendo o homem ter o corpo que tem hoje, segundo um estudo publicado na revista Nature. De acordo com o biólogo Dennis Bramble, da Universidade de Utah, e o antropologista Daniel Lieberman, da Universidade de Harvard, o ser humano evoluiu de espécies de primatas porque precisava correr longas distâncias, talvez para caçar animais ou buscar alimentos.

Para os pesquisadores, a seleção natural favoreceu a sobrevivência daqueles que podiam correr e, com o tempo, a perpetuação das características anatômicas que permitiam correr longas distâncias.

"Nós temos certeza de que a seleção pela corrida ajudou na origem da forma do corpo humano moderno", disse Bramble. "Nós acreditamos que a corrida é uma das características que mais modificaram o ser humano na história."

Correr x Andar

A conclusão vai contra a teoria convencional de que a habilidade de correr deriva da capacidade humana de andar. Segundo Bramble, a capacidade de andar em duas pernas se desenvolveu em espécies de macaco há pelo menos 4,5 milhões de anos, enquanto que a "radical transformação do corpo" não aconteceu em outros 3 milhões de anos ou mais.

"Então a capacidade de andar não pode explicar a anatomia moderna do corpo humano", diz o biólogo. "Se a seleção natural não tivesse favorecido a capacidade de correr, nós ainda seríamos parecidos com os macacos."

Bramble e Lieberman examinaram 26 traços do corpo humano que acentuaram a capacidade de correr. Somente alguns deles eram necessários para andar.

Partes do corpo que ajudam a correr incluem tendões e ligamentos da perna e do pé, os dedos do pé, ombros que se movimentam independentemente da cabeça e do pescoço e que permitem melhor equilíbrio e características do esqueleto e do músculo que deixam o corpo mais forte, mais estável e previnem o superaquecimento.

Fonte: http://www.bbc.co.uk